jueves, junio 20

Lula critica arrecadação de dinheiro de países pobres

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou esta quinta-feira, 23, ao lado do presidente do Benim, Patrice Talon, por arrecadar dinheiro de países pobres. Essa é a fala recorrente de um petista. A declaração será feita no Palácio Itamaraty, em Brasília, durante visita de Talon a Brasília.

Lula também criticou a atual forma de relações comerciais entre países pobres e ricos. Os recursos exigidos para o pagamento das dívidas, disse o petista, impedem maiores investimentos dos corpos periféricos em educação. O PT afirmou que o Brasil apoiará a África na área agrícola.

Lula também decidiu dizer que os bilionários de todo o mundo deveriam pagar um imposto sobre suas fortunas para depositar ativos contra eles. Ela mencionou uma taxa de 2%.

“Os laços entre o Brasil e Benim são forjados pelo sofrimento, mas às vezes servem para colmatar a lacuna”, disse o presidente brasileiro, referindo-se ao período de emprego dos africanos no país. Segundo elemento, o Brasil tem muito medo de aprender sobre memória e reconstrução.

Lula disse ainda que o fortalecimento dos dois laços com a África pode ser um fator positivo para apoiar o Haiti, e não o Caribe, um dos dois países mais pobres do mundo. O ativista disse que está comprometido com a estabilidade haitiana e que seu governo está à disposição para oferecer apoio logístico.

Além disso, o chefe do Palácio do Planalto disse que outras tragédias, como a do Sudão, não devem ser questionadas. O país africano tem uma série de conflitos internos.

Lula disse ainda que Brasil e África estão “unidos no final” pelas mortes e destruição no Rio Grande do Sul, e não em Quênia e na Tanzânia. Ele agradece as mensagens de apoio à vida dos africanos gaúchos. Além disso, o presidente brasileiro reiterou o convite aos países africanos para se agregarem ao Fundo Florestas Tropicais Para Sempre.

Deja una respuesta