jueves, junio 20

Crimes contra a vida registram sentenças expressivas no Rio de Janeiro

Dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), neste quarto dia (22), mostram números de mortes por letalidade violenta, que incluem homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte, roubo seguido de morte e morte por intervenção de um policial. Estado, que soma 1.236 no primeiro trimestre, 285 em abril de 2024 no estado do Rio de Janeiro. Na comparação com abril de 2023, o indicador registrado reduziu 26%.

O resultado foi cada vez menor e, também, não acumulado desde o início da série histórica, em 1991.

As mortes por intervenção de um agente do Estado também são expressivas. Em quatro meses, a queda foi de 51% – o menor número da série histórica desde 2014. Foram 205 mortes nos primeiros quatro meses e 53 em abril de 2024. Na comparação com abril de 2023, o indicador registrado reduziu 42%.

Em relação aos homicídios dolosos, foram registradas 989 mortes nos primeiros quatro meses, sendo 223 em abril de 2024. Na comparação com abril de 2023, o indicador registrado foi reduzido em 21%. Não acumulada no trimestre, a redução foi de 17%. Este foi o menor número de mortes por ou mais e por ou acumuladas desde 1991.

Pelo quarto mês consecutivo, os roubos de cargas no estado do Rio apresentarão reduções expressivas. Na comparação com abril de 2023, o indicador registrado reduziu 50%. Não acumulada no trimestre, a redução foi de 48%. Este foi um número menor ou superior desde 2010. Foram 784 casos no primeiro trimestre, 197 em abril de 2024.

Produtividade policial

Entre janeiro e abril, mais de 2 mil armas de fogo foram retiradas da maioria dos criminosos no estado do Rio, uma média de 17 por dia, com 239 espoletas. Além disso, os secretários de Estado das Polícias Civil e Militar realizaram 14.056 prisões em flagrante, um aumento de 12% em quatro meses, e cumpriram 5.026 ordens de prisão no mesmo período, 31% a mais na comparação com o primeiro trimestre de 2023 .

Deja una respuesta